Releases


Pesquisa da UFRGS aponta que produtor de tabaco tem renda bem acima da média brasileira

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir
thumb_435

O bom padrão socioeconômico dos produtores de tabaco ficou evidenciado no estudo. Enquanto 80,4% dos produtores de tabaco enquadram-se nas classes A e B, a média geral brasileira não chega a 22%.
Novembro 2016 – A Universidade Federal do Rio Grande do Sul, por meio do Centro de Estudos e Pesquisas em Administração, conduziu um recente estudo com objetivo de investigar o Perfil Socioeconômico do Produtor de Tabaco da Região Sul do Brasil. Encomendada pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), a pesquisa foi realizada entre 29 de agosto e 16 de setembro de 2016, em 15 das 21 microregiões produtoras de tabaco que compõem a Região Sul do Brasil – o que corresponde a 94,3% do total produzido na região. Os resultados foram apresentados nesta terça-feira, 29 de novembro, em Porto Alegre, durante coletiva de imprensa.
Coordenada pelo



Além do milho e feijão, pastagem será alvo de diversificação da lavoura de tabaco

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir
thumb_convenio

Na safra passada, o SindiTabaco estima que R$ 650 milhões foram injetados na economia da Região Sul do Brasil com o plantio de 152 mil hectares de milho e feijão na resteva do tabaco.
Novembro 2016 – Foi renovado nesta quinta-feira, 24 de novembro, o convênio do Programa Milho, Feijão e Pastagens após a colheita do tabaco no Rio Grande do Sul. O programa incentiva a diversificação e a otimização no aproveitamento dos recursos das propriedades rurais nos três Estados do Sul. Para isso, são divulgadas as vantagens do plantio da safrinha e incentivo à prática de diversificação da propriedade.
Conduzida pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), a ação reúne a estrutura de campo das empresas associadas e das entidades apoiadoras. São parceiros o governo do Estado do Rio Grande do Sul, por meio das Secretarias da Agricultura,



Jovens aprendizes rurais compartilham experiências em Santa Cruz do Sul

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir
thumb_425

Novembro 2016 – Valorizar a juventude e o campo. Promover alternativas. Oferecer caminhos. São muitos os objetivos do Programa de Aprendizagem Profissional Rural do Instituto Crescer Legal que nesta quarta-feira, 23 de novembro, reuniu os jovens aprendizes das cinco turmas do curso Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural para compartilhar as experiências. Autoridades, parceiros do Instituto e a imprensa acompanharam o evento realizado no auditório do Memorial da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc).
O diretor presidente do Instituto, Iro Schünke, passou uma mensagem de perseverança aos jovens. “Este é um importante momento para o Instituto Crescer Legal, pois temos aqui reunidos os frutos de um trabalho que vem sendo desenvolvido de forma pioneira no meio rural. Quando temos objetivo traçado, além da participação, do trabalho e do envolvimento, é preciso acreditar”, disse Schünke.
O Superintendente Regional do



Programa incentiva plantio de milho, feijão e pastagem após o tabaco em Santa Catarina

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir
Divulgacao-SAR

No Paraná o convênio foi assinado na última sexta-feira, 18 de novembro. Já no Rio Grande do Sul, a assinatura está agendada para esta quinta-feira, 24 de novembro, às 10 horas, na sede da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação, em Porto Alegre.

Novembro 2016 – Foi renovado no início desta semana o Programa Milho, Feijão e Pastagens após a colheita do tabaco em Santa Catarina. A assinatura do convênio aconteceu na segunda-feira, 21 de novembro, na sede da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, em Florianópolis.
Com mais de três décadas, o programa acontece em toda a Região Sul e, na safra passada injetou cerca de R$ 650 milhões na economia com o plantio de 152 mil hectares de milho e feijão na resteva do tabaco. Estimativas do SindiTabaco indicam que em Santa Catarina, o programa aumentou



Viver em comunidade marca seminário do Programa de Aprendizagem Profissional Rural

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir
thumb_419

Novembro 2016 – Os aprendizes rurais de Candelária, Vale do Sol, Venâncio Aires e Vera Cruz do Programa de Aprendizagem Profissional Rural do Instituto Crescer Legal se reuniram no sábado, 19 de novembro, para o seminário de conclusão do segundo eixo de conteúdos do curso Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural. Com o tema “Viver em Comunidade”, o evento realizado na Comunidade Evangélica de Vila Progresso, em Vera Cruz, reuniu jovens, familiares, parceiros do Instituto, autoridades e imprensa.
Flávio Goettert, diretor financeiro do Instituto, deu as boas vindas e falou sobre a importância de estar próximo à comunidade e atento às suas necessidades. Também parabenizou os jovens e seus familiares pelo trabalho desenvolvido nesta etapa do curso. Também prestigiaram o evento a secretária municipal de Educação de Candelária, Sonia Pereira, e a prefeita de Vera Cruz, Rosane Petry.
Na



Seminário marca a conclusão do segundo eixo curricular do Instituto Crescer Legal

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir

Novembro 2016 – Os aprendizes rurais do Programa de Aprendizagem Profissional Rural do Instituto Crescer Legal se reúnem neste sábado, 19 de novembro, para o seminário de conclusão do segundo eixo de conteúdos do curso Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural, com o tema Viver em Comunidade. O encontro acontece na Comunidade Evangélica de Vila Progresso, em Vera Cruz, a partir das 8 horas.
Participam do seminário os jovens aprendizes de Vera Cruz, Candelária, Vale do Sol e Venâncio Aires. Na parte da manhã, o especialista em Gestão de Pessoas, autor e escritor Jéferson Cappellari, falará sobre o tema “A juventude e o viver em comunidade: penso, logo faço”. Autoridades e parceiros também são esperados para o evento que seguirá na parte da tarde com uma apresentação teatral, de canto e chula. O encerramento das atividades do seminário está



MILHO, FEIJÃO E PASTAGENS

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir
THUMB_416

Paraná renova convênio de diversificação das propriedades de tabaco
Novembro 2016 – Foi renovado nesta sexta-feira, 18 de novembro, o convênio do Programa Milho, Feijão e Pastagens após a colheita do tabaco no Paraná. A assinatura aconteceu na Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento do Paraná, em Curitiba. Conduzida pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), a ação reúne a estrutura de campo das empresas associadas e das entidades apoiadoras.
São parceiros o governo do Estado do Paraná, a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), as Federações da Agricultura e dos Trabalhadores na Agricultura do Paraná (FAEP e FETAEP), e o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).
O programa incentiva a diversificação da lavoura de tabaco e a otimização no aproveitamento dos recursos das propriedades rurais. Para isso,



Programa Milho, Feijão e Pastagens será renovado nos três Estados do Sul

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir
thumb_SC_TrezedeMaio_LeopoldoCorrea

Na safra passada, R$ 650 milhões foram injetados na economia com o plantio de 152 mil hectares de milho e feijão na resteva do tabaco.
Novembro 2016 – Nos próximos dias serão renovados os convênios do Programa Milho, Feijão e Pastagens após a colheita do tabaco nos três Estados do Sul. O programa incentiva a diversificação e a otimização no aproveitamento dos recursos das propriedades rurais. Para isso, são divulgadas as vantagens do plantio da safrinha e incentivo à prática de diversificação da propriedade.
O plantio após a colheita do tabaco reduz os custos de produção dos grãos e pastagens, pois ocorre o aproveitamento residual dos fertilizantes aplicados. Consequentemente, pode haver redução de custo na produção de proteína (carne, leite e ovos). Outros benefícios são a proteção do solo contra a erosão e a interrupção do ciclo de proliferação de



Radicalismo e combate à indústria legal marcam a COP7

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir
thumb_412

SindiTabaco avalia a 7ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco, realizada na Índia. Alguns dos temas discutidos em Nova Delhi devem continuar em pauta na COP8, prevista para 2018, na Suíça.
Novembro 2016 – Impedidos de participar da 7ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT), a comitiva brasileira que foi à Índia representar os interesses da cadeia produtiva do tabaco retornou no início da semana. Segundo Iro Schünke, presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), postos de lado os pontos negativos, o resultado da COP7 foi satisfatório.
“Apesar do radicalismo visível com o impedimento de acesso e com as declarações da chefe do Secretariado da Convenção-Quadro, o resultado foi satisfatório considerando que os principais pontos que poderiam afetar a produção e a comercialização de tabaco não evoluíram”, avalia Schünke,



Jovem aprendiz de Vera Cruz vence concurso literário estadual

 Enviar Por E-mail Enviar Por E-mail | Imprimir Imprimir
thumb-410

Novembro 2016 – Uma jovem aprendiz do Instituto Crescer Legal teve sua prosa premiada com a primeira colocação no Concurso Literário para Aprendizes. Promovido pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio Grande do Sul, juntamente com o Fórum Gaúcho de Aprendizagem Profissional (FOGAP), o concurso inscreveu em duas categorias: Prosa e Verso.
Maira Carolina Petry, 17 anos, moradora da localidade de Linha Alta, em Vera Cruz (RS), foi premiada com a primeira colocação na categoria Prosa. Participante do curso “Empreendedorismo em Agricultura Polivalente – Gestão Rural”, a jovem utilizou como tema a oportunidade que está tendo com o Programa de Aprendizagem Profissional Rural, projeto-piloto do Instituto.
Segundo Iro Schünke, diretor presidente do Instituto Crescer Legal, a premiação demonstra o engajamento e a dedicação dos jovens aprendizes. “Ficamos muito satisfeitos com a participação dos nossos jovens e com a